Seleção Brasileira bate a Argentina e estreia com a mão direita no Torneio de Lyon

Com Benite cirúrgico no último quarto, Brasil começa bem trajetória rumo ao Mundial da China

A França só jogaria a partida de fundo, mas o torcedor francês chegou cedo, lotou a Arena Astrobolle e com certeza não se arrependeu. Como nos últimos encontros, Brasil e Argentina fizeram um clássico de tirar o fôlego nesta quinta-feira (15), na abertura do Torneio Internacional de Lyon, que ainda conta com a participação dos donos da casa e de Montenegro.


Se os argentinos concentraram seu jogo no veterano Luís Scola e no ex-rubro-negro Nicolas Laprovittola, a Seleção de Aleksandar Petrovic procurou usar todas as suas armas. E a estratégia funcionou. Com uma pontuação bem dividida, uma defesa agressiva, principalmente no último quarto, e Vitor Benite cirúrgico no último período, a Seleção Brasileira jogou bem, venceu por 89 a 82 (51 a 45) e, de quebra, carimbou a faixa de campeão pan-americano do time dirigido por Sergio Hernandez.


O JOGO

Liderado por Huertas, a Seleção começou quente. Com quatro pontos do armador e uma bola de três de Bruno Caboclo, o Brasil abriu 7 a 2. A vantagem chegou a seis, mas Luís Scola anotou cinco pontos seguidos e diminuiu a diferença para apenas um ponto. Para piorar, o ataque brasileiro passou a errar um arremesso atrás do outro. Os argentinos não tinham nada com isso e aproveitaram o momento. Com três bolas de três em sequência, a diferença pulou para oito. Petrovic parou o jogo e trocou Huertas e Varejão por Yago e Cristiano Felício, respectivamente. Mas foi Bruno Caboclo, com duas bolas de três, que cortou o prejuízo para apenas dois pontos. A seleção argentina sentiu o golpe, e viu o Brasil retomar a dianteira com outra bola de três, desta vez com Alex. Num primeiro quarto pra lá de movimentado e com várias trocas de liderança, melhor para o Brasil, que venceu por 29 a 27.


As duas equipes voltaram modificadas para o segundo período. No Brasil, entraram Benite, Marquinhos e Leandrinho. E foi justamente com sete pontos do trio que a Seleção abriu cinco de frente novamente. Campazzo deu o troco com uma bola de três e cortou o prejuízo para dois. O jogo era lá e cá, e nenhuma das duas seleções conseguia abrir uma grande frente. Assim como nos 10 minutos iniciais, o ataque brasileiro deu pane. Sorte que os argentinos não aproveitaram o momento, e o placar congelou em 40 a 40 por quase três minutos. Se Varejão voltou, Scola também. E foi com um lance livre certo do camisa 4 que a Argentina mexeu no marcador. Por quase dois minutos a diferença alternou entre um e três pontos a favor dos argentinos, até Alex anotar dois tiros livres e recolocar a Seleção em vantagem. A 32 segundos do fim, Huertas acertou uma de três, e a diferença subiu para quatro e terminou em seis antes do intervalo.


Com um quinteto diferente do que começou a partida, o Brasil voltou dormindo e permitiu cinco pontos seguidos dos hermanos. Mas foi só um susto. Com Felício dominante nos dois lados da quadra, a Seleção retomou o controle, abriu cinco pontos e obrigou Sergio Hernandez a pedir tempo. A parada quebrou o ritmo brasileiro, e a Argentina passou à frente. Foi a vez de Petrovic parar o jogo. Voltaram Benite e Huertas, a Seleção retomou a liderança e só não terminou o terceiro período em vantagem graças à pontaria de Laprovittola. Com uma bola de três, o ex-jogador do Flamengo deixou a Argentina um ponto à frente a 10 minutos do fim.


Petrovic mudou novamente, e a Seleção voltou com Marquinhos e Varejão. Mas foi de Benite a bola de três que recolocou o Brasil em vantagem. O jogo era frenético, e a liderança mudava de lado a todo instante. Se a Argentina passou com dois pontos de Deck, o Brasil virou com uma bola de três de Huertas. E assim o jogo se desenhou por quase quatro minutos. Mas a Seleção foi cirúrgica nos cinco minutos finais. Com uma defesa forte, Benite quase perfeito nos arremessos de quadra e usando o tempo a seu favor, o time de Petrovic venceu por 89 a 82 e estreou com a mão direita em Lyon.


"Foi um bom jogo, apesar de termos cometido muitos erros. O resultado final valeu muito, pois Brasil e Argentina nunca é fácil por conta da rivalidade. Foi importante para a nossa evolução. Agora é focar nos ajustes e chegar no Mundial o mais preparado possível", afirmou o armador Yago.


"Eu tinha muitas dúvidas, pois sei que é muito difícil bater a Argentina. Esse é nosso primeiro jogo de verdade nesse nível e ganhamos de um campeão Pan-Americano. Tivemos 20 minutos muito bons, mas precisamos ser mais consistentes, porém ganhar da Argentina é sempre importante. Podíamos ter vencido de uma maneira mais tranquila, mas precisava dar tempo de jogo para todo mundo. Temos que corrigir muitas coisas, mas para o primeiro teste de verdade acredito que foi bom", avaliou Petrovic.


A Seleção Brasileira volta à quadra nesta sexta-feira (16), às 15h30 (de Brasília), para enfrentar a França pela segunda rodada do torneio. O SporTV2 transmitirá a partida.

4 visualizações

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados