Projeto Sigo Esporte estima distribuir R$1,5 bi para atletas brasileiros

Com pouco incentivo do governo, Ignacio Aloise une-se à CWS para adotar plataforma exclusiva que incentiva e valoriza esportistas profissionais e amadores

O projeto Sigo Esporte foi criado com o objetivo de apoiar esportistas brasileiros com a

expectativa de distribuição de R$1,5 bilhão para comunidade desportiva até 2022 por meio de um programa que em sua primeira fase contará com um marketplace exclusivo, comissões por vendas via mobile payment e doações diretas. Com adesão de nomes como Diego Hypolito, Maya Gabeira e Rafaela Silva, a iniciativa idealizada por Ignacio Aloise, Diretor Esportivo da Federação Internacional de Judô e desenvolvida pela CWS junto ao COB (Comitê Olímpico Brasileiro) espera atingir cerca de seis milhões de atletas profissionais e amadores.


No fim de 2018, o Ministério do Esporte anunciou uma redução de R$ 478,2 milhões na verba

prevista para 2019. O impacto foi grande, cortando o número de beneficiados pelo Bolsa Atleta quase pela metade. No ano passado, foram 5.830 participantes no programa e agora, serão 3.058. O impacto deve ser maior entre os jovens, uma vez que categorias como “Atleta

Estudantil” (para destaques de competições escolares) e “Atleta de Base” já não serão mais

contempladas com bolsas.


Com este cenário, os esportistas precisam buscar novas formas de financiamento. Foi

pensando nisso que a CWS, ao participar do projeto Sigo Esporte , desenvolveu uma plataforma que se vale do alto grau de influência e engajamento dos atletas nas redes sociais para gerar oportunidades de renda para o desporto. As funcionalidades para captar recursos vão desde vendas no marketplace e doações diretas até comissões ligadas às transações feitas por um sistema exclusivo de pagamento por celular. “O Sigo Esporte tem como missão criar uma renda recorrente aos esportistas brasileiros, além de oferecer condições mais favoráveis para o desenvolvimento e o progresso da cadeia como um todo. Nesse projeto, todos saem ganhando”, afirma Ignacio Aloise.


Serviço em plena ascensão no país, o mobile payment permite que aquisições sejam realizadas em lojas físicas por meio de dispositivos móveis como smartphones e tablets. A ferramenta do Sigo Esporte utiliza QR Codes e um aplicativo próprio para efetuar os pagamentos nos estabelecimentos parceiros. A parte do pagamento que será revertida ao projeto é menor do que algumas taxas cobradas por operadoras de POS (máquinas de cartão) e beneficiará atletas, treinadores, clubes, ONGs e o COB.


A estimativa da CWS quanto à adesão ao projeto é ambiciosa: seis milhões de esportistas

amadores ou profissionais, 41 milhões de consumidores em potencial e cerca de um milhão e meio de estabelecimentos atingidos, distribuindo cerca de R$ 1,5 bilhão até 2022. “Esse projeto tem potencial para causar um impacto social surpreendente, já que milhões de atletas

poderão sustentar suas carreiras sem depender de ações do governo. Quando efetivado, o SigoEsporte representará um grande avanço para a cadeia esportiva brasileira”, afirma Vinícius Dias, CEO da CWS , idealizadora do projeto.

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados