Prestes a estrear no Estadual, Niterói se prepara para encarar gigantes do basquete

Clube amador participará do Campeonato Carioca pelo segundo ano consecutivo


Ala-pivô Mingau é uma das novidades do Niterói

No próximo final de semana, terá início a disputa do Campeonato Carioca de Basquete. O torneio deste ano contará somente com três equipes e uma delas será o Niterói Basquete Clube, que disputará apenas sua segunda edição de campeonato adulto com a difícil missão de enfrentar Flamengo e Botafogo.


O clube de Niterói ainda é amador, mas aos poucos vem crescendo em estrutura e investimento na formação de atletas, incentivando a prática do esporte na cidade. Recentemente, a agremiação disputou sua primeira competição fora do estado do Rio de Janeiro, participando da Copa Sul-Americana de Basquete em São Paulo com as categorias sub-16 e sub-17.


Fred Coelho comandará sua primeira equipe adulta na carreira

Para o estadual, a equipe manteve a base do ano passado e contará com algumas novidades, começando pelo comando técnico. Fred Coelho, com passagem pelas categorias de base de clubes como Vasco e Fluminense, fará sua estreia como treinador de um time adulto e faz elogios ao projeto do Niterói.


“Eu já acompanhava o projeto por causa do Thiago (Brani, presidente), que foi meu atleta. Estando dentro do Niterói, eu pude ver o crescimento e o incentivo para que crianças e adolescentes pratiquem o esporte, também visando o time profissional. Nós queremos ter sempre esse vínculo entre base e adulto. O Pedro Magalhães, por exemplo, que é atleta da base, está relacionado para o campeonato. Isso mostra aos outros meninos que um dia eles também podem participar do time principal. Estou muito orgulhoso por isso”.


Mingau, que abandonou a carreira de jogador para se dedicar à advocacia em 2016, retornará às quadras para ajudar o Niterói no Estadual. Treinador da equipe no ano passado e com dois títulos de NBB na bagagem (atuando pelo Flamengo), o ala-pivô explica as razões de ter passado o bastão para Fred Coelho no comando do time adulto.


“Por causa do profissionalismo e pelo crescimento do clube, achamos melhor contratar alguém experiente. O Fred é uma excelente pessoa, além de ter mais de 20 anos de basquete no currículo. E quando ele assumiu, a paixão pelas quadras falou mais alto. Não quero voltar a jogar profissionalmente, mas apenas no Estadual. Meu objetivo é ajudar o Niterói de alguma forma, seja pegando uma água ou treinando o time”.


Rodrigo Bahia traz experiência para o garrafão do Niterói

Outra novidade será a presença do experiente pivô Rodrigo Bahia, de 39 anos, com passagem por equipes importantes do basquete brasileiro, como Ribeirão Preto, Limeira e Botafogo. Rodrigo explica o que o motiva a continuar jogando e exalta o trabalho do clube.


“Já tenho um plano de carreira bem definido. Me formei em Educação Física e estou indo para a minha segunda graduação (Fisioterapia), mas enquanto eu estiver mentalmente e fisicamente bem, com aquele frio na barriga, vou seguir jogando e competindo. O mais importante é um dia poder ver o Niterói jogando o NBB com essa gestão que me fez competir pelo clube da minha cidade. Esse é meu grande sonho”.


Outro sabor especial para o pivô será enfrentar o Botafogo, onde atuou por três temporadas, conquistando o título da Liga Ouro e levando o clube carioca a jogar o NBB, de onde não saiu até hoje.


“É um clube que eu tenho muito respeito e admiração. Foram três temporadas resgatando o basquete dentro de um clube tradicional. Hoje o Botafogo joga bem o NBB e vai disputar um torneio internacional. Isso mostra que tudo o que eu e meus colegas de time fizemos, roendo o osso e conseguindo ser campeões da Liga Ouro, entrou para a história. Então, como eu tenho um carinho muito grande pelo clube, vai ser especial”, destaca.


O campeonato carioca de 2019 será disputado por apenas três equipes, fato que tem gerado muitas críticas à FBERJ (Federação de Basquetebol do Estado do Rio de Janeiro). O técnico Fred e os atletas do Niterói comentaram a situação.


“Quando eu jogava, o Flamengo tinha o Oscar (Schmidt) e o Vasco tinha Rogério (Klafke), Demétrius e Hélio Rubens, entre outros. Além do mais, o Estadual tinha entre oito a dez clubes. Não tem como não ficar triste com o formato atual, mas espero que o pessoal da Federação reformule e um dia a gente tenha mais equipes disputando. Seria bom ter mais jogos e mais atletas atuando, até porque nosso Estado tem formado poucos jogadores a nível nacional e esse é um dos principais objetivos do projeto do Niterói Basquete: formar jogadores para o futuro”, afirmou Fred Coelho.


“Acho que ter apenas três equipes é muito ruim para o cenário nacional e regional. Isso é resultado de coisas passadas, como má gestão. Ao invés de criticar, as pessoas devem tentar ajudar a melhorar, ver onde erraram e mudar a tempo. O Niterói é um exemplo disso, pois mesmo fora do eixo nacional, jogará seu segundo campeonato profissional seguido. Essa atitude gerou muito sucesso na cidade e na mídia. As pessoas têm que se unir em prol do basquete. O crescimento da modalidade se dá de acordo com o espaço que ele tem”, destaca Mingau.


O Niterói fará sua estreia no Carioca no próximo sábado (31/08), às 18h30, contra o Flamengo, no Ginásio do Instituto ABEL. No dia seguinte, domingo (01/09), a equipe volta à quadra para encarar o Botafogo, de novo em casa, às 15h. Os jogos do returno estão marcados para os dias 08 e 11/09, contra Botafogo e Flamengo, respectivamente, ambos fora de casa.


“Ano passado foi a nossa primeira vez, era tudo novidade. Agora, mais consolidado, temos uma maior participação desde a administração até o público que acompanha. O próximo passo é continuar dando passos maiores. Quem sabe em breve a gente possa ter um time feminino, mais categorias de base e participação em campeonato nacional. O clube tende a crescer cada vez mais e já estamos muito felizes e orgulhosos pelos resultados atuais”, destaca Mingau.


“Respeitaremos os dois times, mas não teremos medo de jogar. Sei que é difícil, pois os dois clubes (Flamengo e Botafogo) ficaram entre os quatro primeiros no último NBB, mas sempre pensaremos alto. Só assim poderemos crescer”, finaliza o treinador Fred.


Crédito das fotos: André Soares/Niterói Basquete

22 visualizações

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados