Judô: Brasil encerra ciclo olímpico em alta visando Tóquio 2020

Seleção olímpica conquista número recorde de medalhas em Grand Slams durante ciclo olímpico no ano de 2019. Foram 34 medalhas ao todo, o que colocou o país na segunda colocação neste quesito perdendo apenas para o Japão. Foco dos atletas visa uma boa preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.


Beatriz Souza conquistou bronze (+78kg) no último Grand Slam do ano (Osaka/Japão). (Foto Marina Mayorova/FIJ)

No último Grand Slam do ano de 2019 em Osaka/Japão, o Brasil conquistou apenas 1 medalha de bronze com a judoca Beatriz Souza na categoria (+78kg) porém a seleção encerrou o ciclo olímpico de Grand Slams para os jogos de Tóquio 2020 com o saldo positivo.


Ao todo os atletas brasileiros conquistaram em 2019 o total de 34 medalhas colocando o país em segundo lugar no ranking de medalhistas em Grand Slams durante ciclo que é visto por muitos atletas como principal preparatório para os jogos olímpicos da modalidade.


Com 8 títulos conquistados, 12 medalhas de prata e 14 medalhas de bronze, o Brasil ficou atrás apenas do Japão o que não é nenhum demérito para a seleção brasileira. Foram 6 campeões inéditos e 7 medalhistas com idade inferior a 22 anos mostrando o grande trabalho de base que a Confederação e a Comissão técnica vem exercendo.


O próximo desafio da seleção brasileira será no Masters que acontece nos dias 12, 13 e 14 de dezembro ainda este ano em Qingdao na China. O Masters 2019 fecha o ano pré-olímpico da modalidade e apenas os 36 melhores lutadores de cada categoria são convidados a participar do evento.


O sorteio das chaves que definem os adversários dos brasileiros convidados acontece em 11 de dezembro.



5 visualizações

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados