Festival Paralímpico terá adaptações para promover atividades esportivas a crianças de todo Brasil

Evento oferecerá experimentação esportiva a crianças com e sem deficiência de 70 cidades neste sábado, 21

Wescley Conceição, do vôlei sentado, também participou da primeira Edição do Festival. Foto: Bruno de Lima/MPIX /CPB

Setenta cidades brasileiras sediarão neste sábado, 21, a segunda edição do Festival Paralímpico. O evento celebra o Dia do Atleta Paralímpico (22 de setembro). Para comemorar a data, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) promove a experimentação do esporte adaptado para crianças com e sem deficiência de todas as regiões do país. A expectativa desta edição é receber 11 mil crianças e mobilizar cerca de 15 mil pessoas. Para atender a todos, serão feitos alguns ajustes nas atividades.

A programação oferecerá três modalidades por sede, com duração de 3h - das 8h30 às 11h30. Poderão participar crianças com faixa etária de 10 a 17 anos, com e sem deficiência. Profissionais de Educação Física e voluntários conduzirão a programação em cada núcleo. Entre os esportes disponíveis estarão: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, parabadminton, parataekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

Todos os materiais que serão usados para a realização das atividades foram confeccionados pelos profissionais que trabalharão no evento. Nenhum equipamento esportivo oficial será utilizado. Na prática do goalball, por exemplo, alguns professores envolveram as bolas com plástico para substituir os guizos e façam barulho. Já na bocha, as bolinhas foram elaboradas com meias.


"A proposta do Festival é que os professores aprendam como adaptar as atividades, que eles entendam como é possível levar o esporte paralímpico para as escolas sem os equipamentos oficiais. Os coordenadores dos núcleos montaram o plano de atividades do Festival de acordo com as orientações que nós do departamento de desporto escolar do CPB passamos e depois revisamos e fizemos os acertos necessários", disse Ramon Pereira, coordenador do desporto escolar do CPB.


Os medalhistas no Parapan de Lima, que se encerrou há menos de 20 dias, Phelipe Rodrigues (natação), Lucas  Manoel (halterofilismo), Leomon Moreno (goalball), Tuany Barbosa (atletismo), Vitor Tavares (parabadminton), Joana Neves (natação) marcarão presença nos núcleos de suas cidades.


Na primeira edição, realizada em 2018, mais de 10 mil pessoas estiveram envolvidas nas ações do Festival Paralímpico, sendo cerca de 7 mil, crianças, em 48 núcleos. Só o Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebeu 500 delas.

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados