Brasil busca grandes resultados no atletismo no Pan-Americano de Lima

CBAt prefere não fazer prognósticos e confirma ter reunido a melhor equipe, com destaques para campeões de várias modalidades, todos com índice e com os melhores resultados na região

Wagner Carmo/CBAt

O atletismo brasileiro está pronto para representar o País nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. A Confederação Brasileira (CBAt) indicou ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) apenas atletas com índices e com os melhores resultados no Ranking da região.


A CBAt prefere não fazer prognósticos, a não ser tentar fazer a melhor campanha possível. “O Pan classifica atletas para o Campeonato Mundial de Doha e os caribenhos estão dando muito valor à competição, logo fica difícil”, lembrou o presidente do Conselho de Administração da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho, que acompanha os Jogos a convite do COB. “Apesar disso, acredito que vamos ganhar muitas medalhas.”


Para o treinador-chefe João Paulo Alves da Cunha, a expectativa é de que o Brasil consiga conquistar cinco medalhas de ouro e supere a campanha de Toronto 2015, em que a equipe ganhou 13 medalhas (2 de ouro, 5 de prata e 6 de bronze). “Temos de ser realistas”, comentou.

A melhores campanhas do Brasil ocorreram em Guadalajara 2011, no México, quando o atletismo teve a melhor atuação da história com 23 pódios (10 de ouro, 6 de prata e 7 de bronze), e no Rio 2007, onde a equipe também conquistou 23 medalhas (9 de ouro, 5 de prata e 9 de bronze).


Em 17 edições do evento, iniciado em Buenos Aires 1951, o Brasil soma 173 medalhas no atletismo (58 de ouro, 50 de prata e 65 de bronze).


O Brasil tem uma equipe enxuta em Lima de 47 atletas no Pan, sendo 23 homens e 24 mulheres, depois do pedido de dispensa do decatleta Luiz Alberto de Araújo, por lesão.


Caio Bonfim, que participou de um Camping Internacional em Cuenca, no Equador, já está treinando na capital peruana. As provas dos 20 km serão disputadas no domingo (4/8), na região de Miraflores. Nesta quarta-feira (31/7), chegam na Vila Pan-Americana de Lima os marchadores Erica Rocha de Sena e Moacir Zimmermann, ambos dos 20 km.


As provas de pista e campo ocorrerão no Estádio de la Videna, a partir de terça-feira (6/8). O torneio termina no dia 11 de agosto, com as provas dos 50 km marcha atlética.


As maratonas já foram disputadas no dia 27/7, com destaque para os peruanos que venceram as provas masculina e feminina. Christhian Pacheco, do Peru, venceu com 2:10:41, enquanto Gladys Tejada, que completou os 42,195 km em 2:30:55, novo recorde do Pan-Americano, venceu no feminino.


Valdilene dos Santos Silva, do Brasil, terminou em sexto lugar, com 2:34:20, enquanto Andreia Aparecida Hessel ficou em oitavo, com 2:35:40. Já o brasileiro Wellington Bezerra da Silva terminou em 11º lugar, com 2:17:33.


Atrações

O Brasil sempre é apontado como um dos destaques do atletismo do Pan-Americano, principalmente por atletas que brilham em competições internacionais. Entre estas atrações estão seguramente Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara, Darlan Romani, campeão da Copa Intercontinental do arremesso do peso, Andressa Morais, no lançamento do disco, os velocista Paulo André Camilo e Vitória Rosa, triplistas como Almir Junior e Alexsandro Melo, o Bolt, além dos marchadores Caio Bonfim e Erica Rocha de Sena, nos 20 km, e do barreirista Gabriel Constantino, entre outros.


Os atletas de ponta participaram de um Camping Internacional de Treinamento e Competição do Programa de Preparação Olímpica, com vistas aos Jogos Pan-Americanos, em Lisboa e em Madri, em julho.

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados