Banana Bowl chega à 50ª edição como um dos maiores torneios de tênis juvenil do mundo

Elevado a torneio de Grade A, competição está entre as principais do planeta para os jovens

Foto: Luiz Candido/CBT


A contagem regressiva já começou para o mais tradicional torneio juvenil de tênis da América Latina, que começa daqui um mês. Em 2020, o Banana Bowl chega à histórica 50ª edição e ganha ainda mais peso ao se tornar um torneio de Grade A. A disputa será de 10 a 16 de fevereiro nas cidades de Criciúma (SC) e Rio de Janeiro (RJ).


Em homenagem à edição de número 50 do torneio, o Banana Bowl teve a pontuação elevada e será uma das principais competições do mundo em 2020, valendo a mesma pontuação que os quatro Grand Slams juvenis. Em 2019, além do Brasil, apenas Osaka (Japão), Orange Bowl (Estados Unidos), Milão (Itália), Cape Town (África do Sul) e Mérida (México) tiveram campeonatos deste nível.


Assim, a expectativa é pela presença dos principais jogadores juvenis do planeta nas quadras da Sociedade Recreativa Mampituba, onde serão realizadas as categorias 18 anos e Tennis Kids; e do Marina Barra Clube e do Novo Rio Country Clube, palco das disputas das categorias 12, 14 e 16 anos.


Realizado pela primeira vez em 1969, o Banana Bowl carrega décadas de tradição em revelar grandes nomes para o esporte. Ao longo dos anos, alguns dos que vieram a se tornar os principais atletas da modalidade passaram pelas quadras do torneio, como o norte-americano John McEnroe, o tcheco Ivan Lendl, a argentina Gabriela Sabatini, o austríaco Thomas Muster, os argentinos José Luis Clerc, Mariano Zabaleta, o francês Yannick Noah, a eslovaca Dominika Cibukova, a russa Svetlana Kuznetsova, a sérvia Ana Ivanovic e os brasileiros Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, Andrea Vieira, Roberta Burzagli, Jaime Oncins, Flávio Saretta, Thomaz Bellucci, Teliana Pereira e muitos outros.

0 visualização

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados