Atletas de neve encerram participação nos Jogos da Juventude com bons resultados

Com recorde de participantes nos esportes de neve, atletas fizeram história nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude

Foto: Divulgação/YOG


Nesta última terça-feira (21), o Brasil encerrou sua participação nas modalidades de neve nos Jogos Olímpicos da Juventude (YOG). O evento ocorreu durante este mês em Lausanne, na Suíça, e trouxe boas perspectivas para a base nacional.


O melhor resultado, não apenas da edição, mas da história do Brasil, foi o de Noah Bethonico. O atleta do Snowboard Cross garantiu a décima primeira posição na prova qualificatória da sua modalidade, o que o deixou a apenas uma posição de ir para as finais. Com este marco, Noah superou o 15º lugar conquistado por Michel Macedo na prova de Super G dos Jogos da Juventude de 2016.


Além da prova de Snowboard Cross, Noah competiria na terça-feira (21) o Cross Mixed Relay – prova de Snowboard em equipes. O atleta brasileiro se juntaria ao time australiano para compor a equipe do “hemisfério sul”. Entretanto, devido à lesão de uma das atletas da Austrália, eles não puderam largar.

Brasileiros do Ski Cross Country se consagram como melhores sul americanos da competição


No Ski Cross Country, modalidade de neve que o Brasil mais levou representantes (foram quatro atletas, no total), Manex Silva e Rhaick Bomfim se consagraram como os melhores sul-americanos da competição.


As provas ocorreram nos dias 18, 19 e 21 de janeiro, sendo, respectivamente, nas disciplinas Cross, Sprint e Distance.


Com 206.69 pontos FIS na prova de Distance, Manex fez o melhor resultado do esporte em Jogos da Juventude. Rhaick Bomfim, por sua vez, também fez uma ótima prova e alcançou 238.43 pontos FIS no Distance.


A equipe também era formada por Taynara da Silva e Eduarda Westemaier - que se lesionou e não pode participar da última prova. Foi a primeira vez que o Brasil teve uma participação feminina na modalidade.


Manex sai do YOG como melhor sul-americano e recordista brasileiro em provas dos Jogos Olímpicos da Juventude em todas as três provas disputadas, Cross Country Cross (18/1), Sprint (19/1) e 10 km C (21/1).


“Tudo isso demonstra o crescimento da modalidade no Brasil e do nível técnico de nossos atletas. Saímos daqui figurando entre nações com tradição em esportes na neve e mostrando que é possível sim atingir bons resultados baseados no programa que temos desenvolvido com o rollerski”, analisa Leandro Ribela, coordenador técnico do Ski Cross Country na CBDN (Confederação Brasileira de Desportos na Neve).


Com boas perspectivas, ele completa: “o caminho ainda é longo e temos muito trabalho pela frente, mas os resultados obtidos são animadores e nos motivam a continuar firme nessa jornada. Considerando a idade desses atletas e o nível técnico apresentado, temos boas perspectivas para o futuro”.

Biathlon: a primeira participação brasileira da história


No Biathlon, Taynara da Silva representou e foi a primeira atleta da história do Brasil a competir o Biathlon em Jogos da Juventude. A atleta, que competiu na prova de Individual (11/01) e Sprint (14/1) de biathlon e também integrou a equipe do Ski Cross Country, foi a porta-bandeira da delegação brasileira na Cerimônia de Abertura.

1 visualização

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados