Ana Marcela Cunha conquista o primeiro ouro do Brasil nos Jogos Mundiais de Praia

Baiana venceu na batida de mão a prova de 5km disputada às 6hs da manhã com temperatura acima dos 30 graus


Crédito: COB

Atual campeã mundial dos 5 km da maratona aquática, Ana Marcela Cunha comprovou o favoritismo e conquistou a medalha de ouro dos Jogos Mundiais de Praia Doha 2019, no último domingo (13). Este foi o primeiro pódio do Time Brasil na história da competição.

Além das adversárias, a baiana de 27 anos teve que superar o forte calor de mais de 30 graus da água, razão pela qual a largada da prova foi realizada às 6 horas da manhã no horário local. Ana terminou o percurso em 59min51s, a apenas um segundo à frente da chinesa Yawen Hou. Logo atrás chegou a alemã Leonie Beck (59min53s). A outra brasileira na competição, Viviane Jungblut, ficou na 12ª colocação (1h00min59s).

"Estou muito feliz pela primeira medalha de ouro da história dos Jogos Mundiais de Praia e primeira do Time Brasil. Essa vitória envolve comissão técnica, fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, preparador físico, massagista, mãe, pai, noiva. É muita gente que está atrás disso, mas só eu que chego lá e conquisto a medalha. Então, na verdade acho que todo mundo está por trás da conquista. É muito confortável ter uma equipe dessa e poder apenas treinar e competir, é muito mais fácil", reconheceu a brasileira.

A medalha de ouro em Doha se soma a uma série de conquistas no ano de 2019 para Ana Marcela Cunha. No Campeonato Mundial, na Coreia, conquistou duas medalhas de ouro e carimbou o passaporte para Tóquio 2020. Além disso, mesmo sem participar de todas as etapas, foi vice-campeã do Circuito Mundial, e ainda conseguiu o primeiro ouro em Jogos Pan-americanos da carreira, em Lima.


"A gente treina para se manter no pódio e esse ano conseguimos realizar isso. Competir sempre no alto nível é difícil, mas é mais fácil se manter nele do que ficar oscilando. O alvo são os Jogos Olímpicos de Tóquio, mas para chegar lá brigando por uma medalha temos que manter o trabalho", afirmou Ana Marcela, que fez questão de ressaltar a importância da conquista em Doha.

"Isso aqui não é só mais uma medalha, a gente tem que valorizar toda vitória. Cada prova tem um nível diferente e o pessoal sempre vem focado para brigar de igual por igual por medalha.. Hoje teve como superação a água quente. Ainda temos seis semanas de treino e espero continuar o ano nesse alto nível", projetou Ana, que agora volta as atenções para os Jogos Mundiais Militares, a partir da próxima semana, na China.


Ainda este ano, ela participa de duas etapas do Circuito Nacional e de uma prova em Manaus, também em água quente para já ir se adaptando às altas temperaturas que encontrará nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

0 visualização

​​​​© 2020 desenvolvido por Market21 Comunicação - Todos os direitos reservados